Setor de produção animal apresenta situação a secretários

  

Setor de produção animal apresenta situação a secretários

 

Os quatro principais setores de produção animal do Rio Grande do Sul levaram hoje aos secretários da Agricultura, Ernani Polo, do Desenvolvimento, Fábio Branco e secretário-adjunto da Secretaria da Fazenda, Luiz Antônio Bins uma atualização dos problemas do segmento industrial de aves, suínos e pecuária de corte e leite causados pelos bloqueios nas rodovias.

 

“Com a paralisação nas estradas, o fluxo comercial foi interrompido e os abates paralisados”, afirma o presidente da Asgav, Nestor Freiberger. O presidente do Sindilat, Alexandre Guerra, disse que pior do que perder recursos é perder credibilidade, referindo-se ao descumprimento de contratos com compradores. O presidente do Sicadergs, Ronei Lauxen, disse que o setor já vinha enfrentando dificuldades com falta de produto e “este novo golpe prejudica ainda mais o segmento.” Para o presidente do Sips, José Roberto Goulart, “a proximidade da data do pagamento dos funcionários e dos produtores é ainda mais alarmante.” O coordenador do Conagro da Fiergs, Marcos Oderich também participou do encontro e manifestou preocupação com a grave situação enfrentada, especialmente nos estados do Sul.

 

Um documento com a situação dos quatro setores foi entregue aos secretários. Ernani Polo manifestou preocupação com a garantia de apoio aos produtores, que também estão sofrendo sérios prejuízos.  Os dirigentes garantiram que isso já está implícito na relação existente entre indústrias e produtores integrados.

 

Os bloqueios nas rodovias representam diversos problemas aos quatro setores, que vão desde a falta de embalagens e condimentos para o processamento dos alimentos, a mortalidade de animais por falta de ração nas granjas até a falta de cumprimento de contratos com compradores internacionais.  A impossibilidade de saída dos cortes e produtos já processados das indústrias também é um problema já que, com os estoques abarrotados, não há a possibilidade de novos animais entrarem para o abate.

 

Alguns números sobre as dificuldades do setor de produção animal:

 

- Setor de aves abate diariamente 3 milhões de unidades por dia;

- Setor de suínos abate diariamente 29 mil cabeças;

- Setor leiteiro já represou mais de cinco milhões de litros de leite no estado;

- Descumprimento de contratos com compradores internacionais interfere nas garantias e credibilidade das empresas gaúchas;

- Energia elétrica, reajustada em quase 40% na região Sul, representa 20% dos custos das indústrias do setor de produção animal.

 

--


Thais D'Avila

>> Mais notícias

25/05/2017

Simpósio do Leite abordará Biosseguridade

10/05/2017

Biosseguridade e bem-estar na produção suína

03/03/2017

Audiência pública proposta por Weber discutirá decreto para suinocultu

16/12/2016

CP: Kerber vai para 7º mandato

16/12/2016

O Sul: Rogério Kerber é reeleito presidente do Fundesa

Ver todas as notícias

<< Voltar

Nome

E-mail

Mensagem