Mercado suíno aposta em preços mais altos ao longo de dezembro

 

Mercado suíno aposta em preços mais altos ao longo de dezembro

Nas integrações, contudo, ainda influenciados pela fraca demanda da segunda quinzena de novembro, os preços acabaram cedendo no Rio Grande do Sul, Paraná e Mato Grosso

 

Terça-feira, 9 de Dezembro de 2014 às 08h40

 
Mercado suíno aposta em preços mais altos ao longo de dezembro

Após as quedas verificadas em novembro, o mercado brasileiro de carne suína aposta em uma recuperação dos preços ao longo de dezembro, período marcado pelas festas de final de ano e pelo recebimento do 13o salário.

De acordo com o analista de SAFRAS & Mercado, Allan Hedler, alguma melhora nas cotações foi observada durante a semana no Paraná e no Rio Grande do Sul, muito embora a média de preço pago ao produtor pelo quilo vivo do suíno tenha recuado novamente no Centro-Sul, de R$ 3,99 para R$ 3,94. "Os preços avançaram em Ponta Grossa, Arapoti e no Oeste do Paraná, de R$ 3,50 para R$ 3,70 o quilo vivo, enquanto no interior do Rio Grande do Sul a cotação subiu de R$ 4,14 para R$ 4,18 no mercado independente. A tendência é de que as demais praças também acompanhem este movimento de alta nas próximas semanas", projeta.

Nas integrações, contudo, ainda influenciados pela fraca demanda da segunda quinzena de novembro, os preços acabaram cedendo no Rio Grande do Sul, Paraná e Mato Grosso.

No atacado, os preços da carcaça esboçaram uma leve reação, com a média do Centro-Sul passando de R$ 6,40 para R$ 6,41. "Houve uma elevação de trinta centavos na carcaça tipo exportação em São Paulo, passando de R$ 6,30 para R$ 6,60, enquanto a carcaça comum teve alta de R$ 6,05 para 6,35. No Paraná, por outro lado, o movimento foi de queda, com a carcaça tipo exportação atingindo preço de R$ 6,79, ante os R$ 7,27 praticados na semana anterior", detalha. A média de preço do pernil ficou em R$ 7,71, mesmo valor da semana passada.

Nas exportações, dados divulgados pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) confirmaram um bom desempenho ao longo de novembro. Os embarques de carne suína ficaram em 42,76 mil toneladas e a receita atingiu US$ 147,59 milhões, aumentos de 10,6% e de 43,9%, respectivamente, em relação ao mesmo mês do ano passado.

No acumulado de janeiro a novembro a ABPA indica que os volumes embarcados ficaram em 455,74 mil toneladas, queda de 5,1% ante os onze primeiros meses de 2013. A receita com os embarques de carne suína teve uma elevação de 17,9% na mesma comparação, atingindo US$ 1,48 bilhão.

A análise de preços de SAFRAS & Mercado apontou que em São Paulo a arroba suína recuou de R$ 89,00 para R$ 83,00. Na integração do Rio Grande do Sul o quilo vivo caiu de R$ 3,48 para R$ 3,44. Em Santa Catarina o preço do quilo seguiu em R$ 3,45 na integração e em R$ 4,30 no interior. No mercado livre do Paraná a cotação recuou de R$ 4,23 para R$ 3,89 o quilo, enquanto na integração o preço teve queda de R$ 4,77 para R$ 4,23.

No Mato Grosso do Sul a cotação se manteve a R$ 3,30 na integração. Em Campo Grande a cotação continuou em R$ 3,80. Em Goiânia, o preço seguiu em R$ 4,60. No interior de Minas Gerais a cotação também continuou em R$ 4,60. No mercado independente mineiro a cotação foi mantida em R$ 4,20. Em Mato Grosso, o preço do quilo vivo em Rondonópolis continuou em R$ 4,00. Já na integração do estado a cotação teve queda de R$ 3,65 para R$ 3,45.

Fonte: Safras & Mercado

>> Mais notícias

24/08/2017

Comissão aprova proj. de Katia Abreu que suspende cobrança do Funrural

25/05/2017

Simpósio do Leite abordará Biosseguridade

10/05/2017

Biosseguridade e bem-estar na produção suína

03/03/2017

Audiência pública proposta por Weber discutirá decreto para suinocultu

16/12/2016

CP: Kerber vai para 7º mandato

Ver todas as notícias

<< Voltar

Nome

E-mail

Mensagem