Exportação de carne suína para Rússia cresce 76,7% em setembro

 COMÉRCIO EXTERIOR

Exportação de carne suína para Rússia cresce 76,7% em setembro

Levantamento da ABPA mostra que o país europeu ocupa a primeira posição no acumulado do ano

Reprodução
Foto: Reprodução
Apesar do crescimento das exportações para o mercado russo, no ano as vendas externas da proteína apresentam queda de 6,97% em volume ante 2013, para 362,165 mil toneladas

 

O volume de carne suína exportada para a Rússia alcançou 17,065 mil toneladas em setembro, um aumento de 76,7% na comparação com igual mês de 2013, segundo dados da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), divulgados nesta segunda, dia 13.

Em receita, a alta foi de 172,87%, com faturamento de US$ 87,87 milhões no período. Segundo a ABPA, as exportações de carne suína para a Rússia no último mês responderam por 39,6% do total das vendas externas da proteína. Esse crescimento é resultado do embargo do governo de Moscou aos mercados norte-americano e europeu e consequente aumento das importações da carne brasileira.

• Leia mais notícias sobre suínos

– As novas habilitações de frigoríficos brasileiros pela Rússia resultam em aumento gradativo nas vendas para aquele mercado. Com a demanda e a oferta ajustadas, as indústrias estão vendendo menos para alguns mercados para atender à Rússia – diz, em nota, Francisco Turra, presidente-executivo da ABPA.

No acumulado do ano, a Rússia já ocupa a primeira posição entre os principais destinos das exportações brasileiras de carne suína, com 35,7% do total. De janeiro a setembro, foram embarcadas 124,499 mil toneladas de carne suína para o mercado russo, somando um faturamento de US$ 562,49 milhões, crescimento de 23,8% e 80,8%, respectivamente, na comparação com igual período do ano passado.

A expectativa da associação é que o volume de exportações para a Rússia cresça ainda mais até o fim do ano.

– Em outubro, os embarques para a Rússia deverão apresentar volume ainda maior – afirma, em nota, Rui Eduardo Saldanha Vargas, vice-presidente de suínos da ABPA.

Depois da Rússia, os principais destinos da carne suína brasileira são Hong Kong (22,8%), Angola (10,6%), Cingapura (7,1%) e Uruguai (4,4%). Apesar do crescimento das exportações para o mercado russo, no ano as vendas externas da proteína apresentam queda de 6,97% em volume ante 2013, para 362,165 mil toneladas. Em receita, no entanto, há um crescimento de 12,29%, para US$ 1,14 bilhão, explicado pelo aumento do preço médio internacional da carne suína.

Fonte: Canal Rural

 

>> Mais notícias

25/05/2017

Simpósio do Leite abordará Biosseguridade

10/05/2017

Biosseguridade e bem-estar na produção suína

03/03/2017

Audiência pública proposta por Weber discutirá decreto para suinocultu

16/12/2016

CP: Kerber vai para 7º mandato

16/12/2016

O Sul: Rogério Kerber é reeleito presidente do Fundesa

Ver todas as notícias

<< Voltar

Nome

E-mail

Mensagem