Atenção á defesa sanitária é tarefa de todos

 

17 de janeiro de 2014 | N° 17676

OPINIÃO

Atenção à defesa sanitária é tarefa de todos

 

 

Recente relatório divulgado pela FAO – órgão das Nações Unidas para alimentação e agricultura – aponta que 70% das doenças registradas em seres humanos têm origem nos animais. O documento mostra o crescimento do mercado de animais de companhia como a maior preocupação.

Entretanto, o dado representa também um alerta para os mecanismos de defesa sanitária. A globalização e a maior circulação de pessoas e produtos ao redor do planeta significam que as doenças também podem fazer o mesmo caminho.

Em função desta realidade cada vez mais preocupante, o Fundo de Desenvolvimento e Defesa Sanitária Animal (Fundesa) sugere atenção especial aos mecanismos de vigilância agropecuária com o fortalecimento dos serviços oficiais de fiscalização e controle – especialmente em relação aos animais de produção.

Ainda que esse não seja o maior alerta apresentado no relatório, é preciso que todos os personagens envolvidos no setor, sejam produtores, indústria ou o serviço oficial, pensem na sanidade como quesito fundamental para a segurança alimentar da população e para o comércio seguro de produtos de origem animal entre os mercados.

É imprescindível destacar o papel das autoridades públicas e da classe política nesse contexto. É obrigatório que entendam definitivamente que alocar recursos para fazer defesa sanitária é investimento necessário indispensável e urgente!

O impacto da interação homem-animais-ambiente também é destacado no relatório. A FAO acredita que a produção deve planejar suas atividades de olho na sustentabilidade dos ecossistemas. O Fundesa, alinhado com o que preconiza a FAO, está trabalhando na elaboração do Manual de Sustentabilidade Ambiental para a Suinocultura, atividade que poderá ser estendida às outras cadeias produtivas que compõem o fundo.

A saúde da população está diretamente ligada ao desenvolvimento de políticas públicas e privadas de controle de doenças e em prol da sustentabilidade, tanto entre humanos quanto em animais. E é para isso que trabalhamos.
 

OPINIÃO | ROGÉRIO KERBER* PRESIDENTE DO FUNDO DE DESENVOLVIMENTO E DEFESA SANITÁRIA ANIMAL (FUNDESA)

Zero Hora  -  Campo e Lavoura

>> Mais notícias

24/08/2017

Comissão aprova proj. de Katia Abreu que suspende cobrança do Funrural

25/05/2017

Simpósio do Leite abordará Biosseguridade

10/05/2017

Biosseguridade e bem-estar na produção suína

03/03/2017

Audiência pública proposta por Weber discutirá decreto para suinocultu

16/12/2016

CP: Kerber vai para 7º mandato

Ver todas as notícias

<< Voltar

Nome

E-mail

Mensagem