Série Retrospectiva, Perspectiva 2014 mostra a crise da suinocultura

 LEVANTAMENTO

20/12/2013 | 19h41

Série Retrospectiva, Perspectiva 2014 mostra a crise da suinocultura

Já para o setor das aves, a baixa oferta gerou uma redução no volume exportado, mas houve aumenta em receita

Sirli Freitas
Foto: Sirli Freitas / Agencia RBS
Custo de produção foi um dos principais problemas enfrentados pelos suinocultores

 

O ano de 2013 apresentou inúmeros desafios para a cadeia produtiva de suínos. Houve retração de consumo, defasagem de preços e problemas com o mercado internacional. Mais uma vez, o custo de produção foi um dos principais  problemas enfrentados pelos suinocultores.

De acordo com o presidente da Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carne Suína (Abipecs), Rui Vargas, o clima prejudicou o setor e houve uma queda na oferta do produto no mercado interno.

– Além de problemas com logística, infraestrutura, transporte, custo de energia, custo de mão de obra, o clima também causou problemas para o setor. A temperatura elevada, em algumas situações, gerou alguns problemas entéricos que como consequência teve uma forte diarréia nos animais. O problema provocou a morte de muitos deles, o que ocasionou a chegada de um número menor de animais e obviamente perdemos em termos de produtividade – salienta.

De acordo com Vargas, no segundo semestre a suinocultura reagiu e o balanço do ano foi considerado positivo. Ele destaca o aumento dos preços e a recuperação das exportações.

No Rio Grande do Sul as margens de lucro foram mais enxutas. O preço do milho até se estabilizou, mas o farelo de soja subiu muito e impactou os custos de produção. O Estado abateu 7,2 milhões de cabeças ao ano. De acordo com o presidente da Associação dos Criadores de Suínos do Estado, Valdecir Folador, a baixa rentabilidade do suinocultor  gaúcho em relação à dos outros Estados, tem origem nos custos de logística, como o frete.

Para 2014, a Abipecs aposta num crescimento de 15% na produção, o que representa quase 600 mil toneladas destinadas à exportação.

Avicultura

avicultura brasileira veio de um ano muito ruim. Em 2012, as commodities como o milho e a soja subiram muito. Mas com estoques menores foi possível equilibrar o mercado avícola em 2013. A baixa oferta gerou uma redução no volume exportado, mas houve aumenta em receita. De acordo com o presidente da União Brasileira de Avicultura (Ubabef), Francisco Turra, o vilão também foi o farelo de soja,  responsável pelo aumento nos custo de produção. Segundo ele, foram esses custos que tornaram o Brasil menos competitivo no cenário internacional. O país perdeu força diante de seus principais concorrentes, Estados Unidos e a Tailândia.

A produção brasileira de aves atingiu 12,300 milhões toneladas. Desse volume, sem contabilizar o mês de dezembro, 3,950 milhões toneladas, foram destinadas para exportação. Cerca de 16% só para Arábia Saudita, o maior mercado comprador. Em receita, o setor avícola brasileiro cresceu 6%. Para o ano que vem, a Ubabef projeta uma produção de13 milhões de toneladas. O volume de exportação esperado é de quatro milhões de toneladas.

>> Leia mais notícias sobre suínos

>> Leia mais notícias sobre aves

 

CANAL RURAL

PORKWORLD  -  o mega portal da Suinocultura Brasileira

 

>> Mais notícias

25/05/2017

Simpósio do Leite abordará Biosseguridade

10/05/2017

Biosseguridade e bem-estar na produção suína

03/03/2017

Audiência pública proposta por Weber discutirá decreto para suinocultu

16/12/2016

CP: Kerber vai para 7º mandato

16/12/2016

O Sul: Rogério Kerber é reeleito presidente do Fundesa

Ver todas as notícias

<< Voltar

Nome

E-mail

Mensagem