Embarques de suínos devem aumentar 15,7 em 2014, projeta Abipecs

 DEMANDA AQUECIDA

Embarques de suínos devem aumentar 15,7% em 2014, projeta Abipecs

Brasil soma US$ 102 milhões em receita cambial com exportações do produto em novembro

Alan Pedro
Foto: Alan Pedro / Agencia RBS
Abipecs projeta embarques de 590 mil toneladas da proteína ao exterior no próximo ano

 

A Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carne Suína (Abipecs) projeta embarques de 590 mil toneladas da proteína ao exterior em 2014. Se confirmado, o volume será 15,7% maior que as 510 mil toneladas esperadas para 2013.

>> Leia mais notícias sobre suínos

Segundo o presidente da Abipecs, Rui Vargas, a demanda externa seguirá aquecida e há alguns fatores que podem impulsionar os embarques do ano que vem. Ele cita a perspectiva de maior demanda por parte do Japão, a reabertura do mercado da África do Sul, a abertura do mercado da Coreia do Sul, a manutenção dos mercados da Rússia e da Ucrânia e o aquecimento do mercado chinês.

Além disso, a Abipecs projeta para 2014 uma produção de 3,48 milhões de toneladas, crescimento médio de 1% em relação a 2013, quando serão produzidas 3,45 milhões de toneladas, queda de 1,2% ante 2012. Além disso, a expectativa é de alojamentos estáveis de matrizes no ano que vem, com carcaças de peso maior e recuperação da produtividade.

O potencial de consumo doméstico, em 2014, conforme a Abipecs, deverá ficar estável em 15 quilos per capita. Neste ano, o consumo per capita ficou em 14,55 quilos. 

– Como a disponibilidade interna permanecerá no nível dos 15 quilos, os preços no mercado interno deverão continuar firmes, remunerando toda a cadeia – afirmou o diretor de mercado interno da Abipecs, Jurandi Soares Machado. 
  
Receita cambial

A receita cambial com as exportações de carne suína somou US$ 102,556 milhões em novembro, queda de 25,32% ante o valor de US$ 137,319 milhões do mesmo mês de 2012. Em volume, a diminuição foi de 24,31%, passando de 51.094 toneladas para 38.673 toneladas na mesma base de comparação. Os preços médios no período diminuíram 1,33%, para US$ 2.652 a tonelada. 
 
No acumulado do ano até novembro, as quedas se repetem. A receita cambial soma US$ 1,258 bilhão, retração de 9,58% sobre o valor de US$ 1,391 bilhão do mesmo período do ano passado. Em volume, a diminuição é de 11,29%, passando de 541.066 toneladas para 479.984 toneladas. O preço médio, porém, acumula aumento de 1,93%, para US$ 2.621 a tonelada.

Segundo o presidente da Abipecs, Rui Vargas, os preços internacionais, inclusive os da Ucrânia, não foram competitivos em relação aos preços internos.

– Por outro lado, a oferta interna foi menor do que em outubro – acrescentou.

Fonte: O Estadão

Fonte: PORKWORLD - o mega portal da Suinocultura Brasileira

 

>> Mais notícias

25/05/2017

Simpósio do Leite abordará Biosseguridade

10/05/2017

Biosseguridade e bem-estar na produção suína

03/03/2017

Audiência pública proposta por Weber discutirá decreto para suinocultu

16/12/2016

CP: Kerber vai para 7º mandato

16/12/2016

O Sul: Rogério Kerber é reeleito presidente do Fundesa

Ver todas as notícias

<< Voltar

Nome

E-mail

Mensagem