Leilão de milho de Mato Grosso é insuficiente para resolver demanda do

 

CEREAL
14/11/2013 | 18h29

Leilão de milho de Mato Grosso é insuficiente para resolver demanda do Sul

Afirmação é do Sindicato das Indústrias de Produtos Suínos do RS; leilão de Pepro está marcado para 20 de novembro

  • Cristiane Viegas | Porto Alegre (RS)
Sirli Freitas
Foto: Sirli Freitas / Agencia RBS
Serão ofertadas 800 mil toneladas para atender demanda de aves e suínos do RS e SC

 

milho mato-grossense, que vai chegar ao mercado do gaúcho, através do Prêmio Equalizador Pago ao Produtor Rural (Pepro), vai alimentar animais que serão abatidos a partir do ano que vem. De acordo com o Sindicato das Indústrias de Produtos Suínos do Estado do Rio Grande do Sul (Sips), o leilão de escoamento vai apenas amenizar a falta do grão no Estado gaúcho.

>>Leia mais notícias sobre o milho
 
O diretor executivo do Sips, Rogério Kerber, diz que as 800 mil toneladas de milho que vão ser ofertadas no leilão do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) no dia 20 de novembro não são suficientes para atender a demanda dos Estados gaúcho e catarinense.

Em 2013, o Rio Grande do Sul produziu bem, foram 5,3 milhões de toneladas, apesar disso a demanda interna ficou maior. São necessárias 5,8 milhões de toneladas para abastecer o Estado. De acordo com o presidente Associação Gaúcha de Avicultura (Asgav), Nestor Freiberger, os contratos de exportação, ainda não cumpridos, levam parte dessa produção para outros países.

A falta do grão, fundamental na alimentação de suínos e aves, está aumentando o custo de produção. Segundo a Asgav, provavelmente o produto estará mais caro neste final do ano. No caso das aves, a alta chegou a 20% nos últimos seis meses. Para Freiberger, não há como poupar o consumidor, os custos precisam ser repassados ao varejo.

Leilão Pepro

Do total das 800 mil toneladas, serão negociadas 200 mil toneladas de milho do norte de Mato Grosso, designada ao município de Sinop; 100 mil toneladas de Sorriso; 400 mil toneldas de Campo Novo do Parecis e 100 mil toneladas de Gaúcha do Norte.

Para o secretario de Política Agrícola do Mapa, Neri Geller, a medida é benéfica aos produtores mato-grossenses, que poderão escoar a produção local, além de auxiliar regiões brasileiras que precisam do cereal para a alimentação de animais.

>>Cotação: acompanhe os preços das principais commodities



 

CANAL RURAL COM INFORMAÇÕES MAPA

Fonte Ruralbr

 

>> Mais notícias

25/05/2017

Simpósio do Leite abordará Biosseguridade

10/05/2017

Biosseguridade e bem-estar na produção suína

03/03/2017

Audiência pública proposta por Weber discutirá decreto para suinocultu

16/12/2016

CP: Kerber vai para 7º mandato

16/12/2016

O Sul: Rogério Kerber é reeleito presidente do Fundesa

Ver todas as notícias

<< Voltar

Nome

E-mail

Mensagem