Oferta menor faz preço da carne suína subir

 

  • HOME
  • NOTÍCIAS
 

Oferta menor faz preço da carne suína subir

Segundo Jurandi Soares Machado, diretor da Abipecs, a produção deve cair em torno de 2% neste ano, devido à baixa natalidade dos suínos no verão e ao aumento da mortalidade ...

Quinta-feira, 3 de Outubro de 2013 às 12h00

 

A ceia de Natal do brasileiro vai ficar mais salgada. Pelo menos é o que deve ocorrer com as carnes, principalmente com a suína. Haverá uma redução na oferta e um ajuste firme nos preços.

Segundo Jurandi Soares Machado, diretor da Abipecs (Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carne Suína), a produção deve cair em torno de 2% neste ano, devido à baixa natalidade dos suínos no verão e ao aumento da mortalidade no inverno.

O resultado foi uma elevação nos preços, que já atingem R$ 73 por arroba no mercado paulista, repetindo os valores do início deste ano.

Após um período de forte desaceleração, a arroba de suíno recuou para até R$ 47 em abril, segundo levantamento da Folha.

Esse preço foi consequência da queda nas vendas devido à migração do consumidor para a carne de frango, também em baixa nesse período do ano.

O cenário de produção pode não ser revertido em 2014, quando a oferta de carne ainda será limitada. Mas Machado acredita que a partir de 2015 a oferta crescerá devido aos investimentos que serão feitos pelas indústrias.

Esses investimentos não se restringirão apenas às grandes, mas também serão feitos por pequenas e médias.

As empresas começam a se preparar não só para uma eventual expansão de mercado mas também para atender aos japoneses, que abriram as portas ao produto brasileiro recentemente.

Segundo Rui Vargas, presidente da Abipecs, o Japão vai, inclusive, mudar o perfil de consumo interno, uma vez que exige cortes diferenciados de carne suína.

O processo será semelhante ao da avicultura, que desenvolveu novos produtos demandados pelos japoneses e passou também a vendê-los no mercado doméstico.

As exportações de carne suína estão previstas em 560 mil toneladas neste ano, segundo a Abipecs. Esse volume, no entanto, pode não ser alcançado devido à queda na oferta de produto.

Além disso, os preços internos estão mais favoráveis do que os praticados em alguns mercados para os quais o Brasil exporta.

Hoje, os melhores mercados em termos de preço para o Brasil são Hong Kong, Ucrânia e Rússia.

Fonte: Folha de São Paulo

Fonte: PORKWORLD - o mega portal  da Suinocultura Brasileira

>> Mais notícias

25/05/2017

Simpósio do Leite abordará Biosseguridade

10/05/2017

Biosseguridade e bem-estar na produção suína

03/03/2017

Audiência pública proposta por Weber discutirá decreto para suinocultu

16/12/2016

CP: Kerber vai para 7º mandato

16/12/2016

O Sul: Rogério Kerber é reeleito presidente do Fundesa

Ver todas as notícias

<< Voltar

Nome

E-mail

Mensagem