Exportação de carne suína tem queda no 1º semestre do ano

COMÉRCIO EXTERIOR
11/07/2013 | 15h37
Assunto:

Exportação de carne suína tem queda no 1º semestre do ano

Retomada da exportação de carne suína para a Ucrânia deve aparecer em números a partir da segunda quinzena de julho

Foto: Hermínio Nunes / Agencia RBS
Mercado japonês poderá ser alavanca para o segundo semestre

A exportação de carne suína no primeiro semestre teve queda de 10,52% em comparação com igual período de 2012. O Brasil enviou 240,5 mil toneladas para fora do país e faturou no período US$ 630,26 milhões – faturamento 8,31% menor que no mesmo intervalo do ano passado. Os dados foram divulgados pela Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec) nesta quinta, dia 11.

Nos seis primeiros meses do ano, a Rússia foi o principal destino da carne suína brasileira e respondeu por 28,71% das exportações, seguida por Hong Kong, com 25,30%, e Ucrânia, com 10,55%. Com relação ao faturamento, a sequência é a mesma: Rússia em primeiro lugar, com 31,93% da receita, Hong Kong com 23,73%, e Ucrânia com 11,62%.

No mês passado, o Brasil exportou 40.626 toneladas de carne suína, queda de 7,49% em relação a junho de 2012. A receita foi de US$ 98,49 milhões, retração de 9,14%. O preço médio também caiu 1,79% no período.

O presidente da Abipecs, Rui Vargas, disse em comunicado que os números estão refletindo a suspensão temporária, a partir de 20 de março, pela Ucrânia. A retomada da exportação de carne suína para a Ucrânia, desde 19 de junho, deve aparecer em números a partir da segunda quinzena de julho deste ano, e se vislumbra uma perspectiva positiva de recuperação gradativa no decorrer do segundo semestre.

A Abipecs reforça que a perspectiva é positiva para o segundo semestre. A principal alavanca para a recuperação do desempenho das exportações poderá ser o mercado japonês, no qual o setor deposita boas expectativas a curto, médio e longo prazo.

Outro aspecto a ser ressaltado, segundo Vargas, é o resultado positivo do setor no mercado russo, em virtude da missão veterinária que visita o Brasil neste mês. Conforme Vargas, esse quadro deve ajudar a melhorar os números defasados do mercado interno em termos de preços e volumes.

 

Fonte:ruralbr  pecuária

>> Mais notícias

25/05/2017

Simpósio do Leite abordará Biosseguridade

10/05/2017

Biosseguridade e bem-estar na produção suína

03/03/2017

Audiência pública proposta por Weber discutirá decreto para suinocultu

16/12/2016

CP: Kerber vai para 7º mandato

16/12/2016

O Sul: Rogério Kerber é reeleito presidente do Fundesa

Ver todas as notícias

<< Voltar

Nome

E-mail

Mensagem