Russos começam a avaliar frigoríficos

Expectativa é de que inspeção possa reverter embargo imposto em 2011

Nove técnicos do governo russo desembarcam hoje no Rio Grande do Sul para inspecionar sete frigoríficos de abate bovino, suíno e de frango. A missão poderá dar fim ao embargo à carne brasileira e devolver ao Estado um importante mercado externo.

Amissão russa, que chegou ao país ontem e fica até o dia 2 de agosto, se reúne com representantes do Ministério da Agricultura em Brasília, hoje. À noite, desembarca no Estado, onde cumpre roteiro (veja quadro).

– Estamos confiantes quanto à reabertura do mercado russo à carne gaúcha, responsável por mais de 50% dos embarques do país – diz o superintendente do Ministério da Agricultura no Estado, Francisco Signor.

Conforme Signor, que acompanhará as inspeções nos frigoríficos de suínos, as vistorias em cada planta devem durar cerca de três horas, período em que os técnicos fazem análise de documentos e das instalações, levando em conta questões sanitárias e de boas práticas de produção.

Indústria precisou buscar novos mercados

Em Lajeado, no Vale do Taquari, os russos irão inspecionar duas unidades da Brasil Foods, uma de abate de suínos e outra de frangos. Antes do embargo, os dois frigoríficos exportavam aproximadamente 4 mil toneladas por mês para os russos.

– Buscamos outros mercados, como Ucrânia e Cingapura, para absorver parte desse volume – aponta Guilherme Portella, gerente de Relações Institucionais da Brasil Foods.

Mesma estratégia adotada pelo Frinal, em Garibaldi, na Serra, que estabeleceu parceiros em países árabes e asiáticos. O Frigorífico Silva, em Santa Maria, direcionou os embarques para o Oriente Médio. As vendas para a Rússia chegavam a 600 toneladas de carne por mês. O diretor comercial, Gabriel da Silva Moraes, ressalta que a empresa terá capacidade para voltar a atender os russos:

– Mantivemos nossos programas de qualidade e temos todas as documentações exigidas.

O embargo impactou especialmente a produção de suínos. O Estado enviava à Rússia 60% das exportações.

– Os frigoríficos têm se preparado intensamente para se adaptar às novas regras aduaneiras da Rússia – afirma o diretor executivo do Sindicato das Indústrias de Produtos Suínos do Estado (Sips), Rogério Kerber.

*Colaborou Erik Farina

joana.colussi@zerohora.com.br

JOANA COLUSSI*
Roteiro no RS
AMANHÃ
Onde irão os nove técnicos do governo russo:
- Frigorífico Marfrig, abate de bovinos, Alegrete
- Brasil Foods, abate de aves, Lajeado
- Brasil Foods, abate de suínos, Lajeado
QUARTA-FEIRA
- Frigorífico Silva, abate de bovinos, Santa Maria
- Frigorífico Alibem, abate de suínos, Santa Rosa
- Frigorífico Frinal, abate de aves, Garibaldi
QUINTA-FEIRA
- Frigorífico Alibem, abate de suínos, Santo Ângelo
- Laboratório do Ministério da Agricultura em Porto Alegre
Fonte: Fonte: Superintendência Federal de Agricultura no rs

Fonte: Jornal Zero Hora

>> Mais notícias

10/04/2019

Frente em Defesa do Milho tem adesão de 27 deputados

09/04/2019

Deputados querem criar Frente em Defesa da Cultura do Milho

08/11/2018

Presidente Fundesa fala sobre desafios sanidade animal

04/09/2018

Surto de Peste Suína Africana na Ásia exige atenção em biosseguridade

29/08/2018

Presidente do Fundesa recebe Medalha Assis Brasil

Ver todas as notícias

<< Voltar

Nome

E-mail

Mensagem