Projeto inclui carne suína na merenda escolar

 

A Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS) entregará uma proposta ao deputado federal Afonso Hamm (PP-RS) para inserir a carne suína como item obrigatório na merenda escolar em todo país.

Segundo o presidente Marcelo Lopes, a proposta ajudará a aumentar o consumo per capita e amenizará a crise que provoca prejuízos aos produtores.

Cita que a introdução da carne suína ao cotidiano das novas gerações é importante para o desenvolvimento da cadeia produtiva. “As crianças têm a aceitação muito maior e curiosidade de experimentar o novo”.

Para o presidente da Associação de Criadores de Suínos do Rio Grande do Sul (Acsurs), Valdecir Luis Folador, tendo a carne como item obrigatório na merenda, ensina-se desde cedo à criança a consumir um alimento tão saboroso e nutritivo quanto às demais carnes.

Também se quebra um preconceito que ainda existe em relação ao produto, ajudando a multiplicar o gosto pela carne dentro da família.

Hamm é autor do projeto que propõe a inserção obrigatória de frutas no cardápio de todas as refeições fornecidas pelo programa de alimentação escolar nas escolas.

No cardápio desde 2011

O projeto de lei que inclui a carne suína no cardápio escolar do estado foi sancionado em 2010 pela governadora Yeda Crusius. Porém, poucas escolas inseriram a proteína na merenda dos alunos.

Em Lajeado, a carne faz parte da alimentação de oito mil alunos de 45 escolas municipais desde 2011.

Conforme a nutricionista Magali Driemyer, não existem restrições quanto ao seu consumo devido às mudanças no sistema de produção e avanços genéticos. “A quantidade de colesterol presente (275 calorias) é aproximada ao das aves (140) e da carne vermelha (240).”

No ano passado foram consumidos 5,2 mil quilos. Magali cita que a aceitação da carne suína nas escolas municipais contribuirá para moldar hábitos de consumo da nova geração.

Consumo aumenta 1,5 quilos

Segundo dados da Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carne Suína (Abipecs), cada brasileiro consumiu, em média, 15,1 quilos de carne suína em 2011.

O consumo per capita, que havia permanecido estável nos anos anteriores, cresceu aproximadamente 1,5 quilo em 2011.

Apesar do aumento, o consumo de carne suína no Brasil é baixo em comparação aos principais países consumidores.

 

Segundo o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), a União Europeia, com consumo per capita de 40,2 quilos, figura entre os grandes consumidores mundiais.

Saiba mais

No estado, a criação de suínos gera 300 mil empregos diretos e indiretos. O setor arrecada em ICMS em torno de R$ 400 milhões ao ano.

O Brasil possui hoje o quarto maior plantel suíno do mundo, com rebanho superior a 37 milhões de cabeças que, em 2007, foi responsável por produzir 3 milhões de toneladas, com destaque para a Região Sul.

Santa Catarina lidera o ranking dos maiores produtores de suínos do país, com 8,9 milhões de cabeças, seguido por Rio Grande do Sul, com 6,1 milhões e Paraná, com 5,1 milhões, de acordo com a Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carne Suína (Abipecs).

Fonte: Jornal A Hora do Vale

>> Mais notícias

10/04/2019

Frente em Defesa do Milho tem adesão de 27 deputados

09/04/2019

Deputados querem criar Frente em Defesa da Cultura do Milho

08/11/2018

Presidente Fundesa fala sobre desafios sanidade animal

04/09/2018

Surto de Peste Suína Africana na Ásia exige atenção em biosseguridade

29/08/2018

Presidente do Fundesa recebe Medalha Assis Brasil

Ver todas as notícias

<< Voltar

Nome

E-mail

Mensagem