Indústria com novo fôlego

 

Governo lança medidas para retomar competitividade e elevar internacionalização da economia

Tarso Genro (D) recebe cumprimentos de Knijnik na solenidade do Piratini<br /><b>Crédito: </b> caco argemi / palácio piratini / cp
Tarso Genro (D) recebe cumprimentos de Knijnik na solenidade do Piratini
Crédito: caco argemi / palácio piratini / cp
 

Recuperar a competitividade das empresas, aumentar o grau de internacionalização da economia gaúcha e ampliar a capacidade de inovação são os principais objetivos da Política Industrial, lançada ontem pelo governador Tarso Genro, em cerimônia no Salão Negrinho do Pastoreio do Palácio Piratini. A atividade foi prestigiada por autoridades políticas e lideranças empresariais. "Vamos fortalecer a base produtiva para que o Rio Grande do Sul seja globalizador e não um agente passivo da globalização econômica", defendeu o governador.

O modelo, sustentado em cinco eixos - Política Setorial, Política da Economia da Cooperação, Política da Firma, Instrumentos Transversais e Programas e Projetos de Infraestrutura para o Desenvolvimento - faz parte da estratégia de desenvolvimento proposta pelo governo do Estado. "Vamos sair das nossas agruras financeiras crescendo. A Política Industrial é um instrumento poderoso que dará coesão ao desenvolvimento do Estado", afirmou Tarso Genro, que destacou a profundidade das medidas e a conexão das propostas com a base industrial já instalada no Estado.

Representando o ministro Fernando Pimentel, o secretário de Inovação do Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Nelson Fujimoto, elogiou a iniciativa e afirmou que a estratégia gaúcha coincide com o plano nacional, que será desenvolvido pelo Conselho de Competitividade, o qual deverá ser lançado na próxima semana pela presidente Dilma Rousseff para fortalecer o cenário brasileiro e proteger a indústria nacional da ameaça imposta pela competitividade das indústrias estrangeiras.

Já o presidente da Fiergs, Heitor José Müller, considerou que a Política Industrial atende às expectativas do setor, por entender que ajustes poderão ser feitos durante o processo.

O secretário de Desenvolvimento e Promoção do Investimento, Mauro Knijnik, apresentou os princípios gerais da política, que organiza os instrumentos disponíveis para promover a atração de investimentos. "A Política Industrial é ampla, e os seus instrumentos atendem a todos os setores de nossa diversificada economia, valorizando a capacidade de competir por meio da inovação", explicou Knijnik.

A montagem da Política Industrial consumiu dez meses de trabalho e envolveu a participação de entidades, sindicatos, universidades e cooperativas. Foram escolhidos 22 setores, da Economia Tradicional e da Nova Economia, organizados de acordo com as prioridades de desenvolvimento.

 

Fonte: Correio do Povo

>> Mais notícias

10/04/2019

Frente em Defesa do Milho tem adesão de 27 deputados

09/04/2019

Deputados querem criar Frente em Defesa da Cultura do Milho

08/11/2018

Presidente Fundesa fala sobre desafios sanidade animal

04/09/2018

Surto de Peste Suína Africana na Ásia exige atenção em biosseguridade

29/08/2018

Presidente do Fundesa recebe Medalha Assis Brasil

Ver todas as notícias

<< Voltar

Nome

E-mail

Mensagem