Expodireto testa ânimo

 

Uma das principais feiras do agronegócio gaúcho começa hoje com o desafio de superar a estiagem

Exposição segue até sexta com projeção de receber 160 mil visitantes<br /><b>Crédito: </b> simone ramos / especial / cp
Exposição segue até sexta com projeção de receber 160 mil visitantes
Crédito: simone ramos / especial / cp
 

Ainda sem o real impacto da seca sobre a safra de verão, a Expodireto testa o ânimo do produtor, de hoje até sexta-feira, em Não-Me-Toque. Com a presença confirmada do ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro Filho, a expectativa é que ele faça anúncios esperados desde agosto passado, quando assumiu o cargo. Entre as medidas, estão renegociação das dívidas, política de armazenagem e ampliação do seguro agrícola. Na abertura oficial, marcada para 9h, Mendes estará acompanhado do presidente da Cotrijal, Nei Mânica, e dos secretários da Agricultura, Luiz Fernando Mainardi, e do Desenvolvimento Rural, Ivar Pavan. O governador Tarso Genro não vai, pois acompanha a presidente Dilma Rousseff em viagem à Alemanha.

Apesar da presença do ministro, as entidades não devem fazer da cerimônia palco de reivindicações. Segundo o presidente da Farsul, Carlos Sperotto, o diálogo tem sido constante com o ministro e seus técnicos, o que faz com que agora o dirigente esteja apenas aguardando retorno dos pleitos. "A nossa posição é de busca de soluções e, de imediato, estamos preocupados que sejam atendidas as necessidades mínimas de quem está enfrentando a estiagem." Apesar da cobrança, Sperotto está confiante num encaminhamento definitivo sobre a renegociação. Na semana passada, ele e o presidente da Fetag, Elton Weber, estiveram em Brasília com as equipes técnicas dos ministérios da Agricultura e do Desenvolvimento Agrário. Weber acrescenta que o principal é a agilidade na apresentação de soluções, seja no tema renegociação e seguro, seja na política agrícola como um todo. "É a oportunidade para colocarmos nossas posições e sugerir." Para o presidente da Fecoagro, Rui Polidoro Pinto, será a oportunidade de "aparar arestas". Segundo Polidoro, é preciso fundamentar bem os pleitos de forma conjunta já de olho no anúncio do Plano Safra 2012/13.

Mendes fica somente hoje em Não-Me-Toque, mas o secretário de Política Agrícola, Caio Rocha, e outros técnicos do ministério participarão de fóruns e estarão no estande do Mapa durante toda a semana.

A estiagem deve impactar no resultado financeiro da feira. Mas Mânica espera que seja possível se aproximar do recorde de R$ 1,04 bilhão da edição de 2011. Rodadas diárias de negócios no Pavilhão Internacional devem colaborar para minimizar os estragos do clima sobre o faturamento. Apesar da situação calamitosa em algumas regiões, o presidente do Simers, Claudio Bier, também está confiante. "Mesmo com esse revés da estiagem esperamos que o produtor se anime e invista em tecnologia." A expectativa de Bier é de, pelo menos, igualar o resultado do ano passado, de R$ 984,38 milhões nos estandes das máquinas.

Este ano, para manter o público na casa dos 160 mil visitantes, a feira foi antecipada para os primeiros dias de março. Assim, não coincidirá com a colheita de soja no Estado, que começa com força na segunda quinzena.

 

Fonte: Correio do Povo

>> Mais notícias

10/04/2019

Frente em Defesa do Milho tem adesão de 27 deputados

09/04/2019

Deputados querem criar Frente em Defesa da Cultura do Milho

08/11/2018

Presidente Fundesa fala sobre desafios sanidade animal

04/09/2018

Surto de Peste Suína Africana na Ásia exige atenção em biosseguridade

29/08/2018

Presidente do Fundesa recebe Medalha Assis Brasil

Ver todas as notícias

<< Voltar

Nome

E-mail

Mensagem