Portaria freia distribuição de milho

 

 

A demora na emissão de uma portaria conjunta dos ministérios da Agricultura, da Fazenda e do Planejamento para liberar milho balcão a preço subsidiado atrasa a sua entrega para agricultores gaúchos atingidos pela seca para alimentar os animais, que estão sem pastagem. A portaria é necessária para equalizar o preço do milho armazenado em Mato Grosso e fazê-lo chegar ao produtor gaúcho mais barato, a R$ 19,10 a saca. Também depende da portaria, segundo o superintendente da Conab/RS, Glauto Melo Junior, a liberação emergencial de 17 mil toneladas da companhia no Estado. O Ministério da Agricultura já assinou, mas, até a sexta-feira, a Secretaria de Política Econômica do Ministério da Fazenda não tinha informação sobre o seu status.

Segundo assessores do Ministério da Fazenda, o feriado estendido de Carnaval atrasou ainda mais a tramitação. Na tentativa de amenizar parte da morosidade, a superintendência da Conab no Estado está fazendo avaliação cadastral dos agricultores que enviaram a demanda. O agrônomo da Emater Dulphe Pinheiro Machado tem esperança que a portaria saia nesta semana, pois, à medida que o tempo passa, a pressão cresce. Inicialmente, cada produtor teria direito a 100 sacas mensais, mas esse teto ainda precisa ser confirmado pela portaria. "Precisamos agilidade federal", diz o assessor de Política Agrícola da Fetag, Airton Hochscheid.
 

Fonte Correio do Povo

>> Mais notícias

28/02/2020